Verso livre

“Minha liberdade é escrever. A palavra é o meu domínio sobre o mundo.” Clarice Lispector, escritora ucraniana naturalizada brasileira que este ano volta às LEITURAS OBRIGATÓRIAS DA UEPA.

Anúncios

Sugestões para argumentos defenderem a tese

Por analogia – estabelece uma comparação entre duas situações – se alguma coisa é válida numa, então o é na outra, desde que lhe seja comparável.

“A pessoa paga de boa vontade a manutenção de seu carro. Por que não teria igual cuidado com o seu corpo?”

Com exemplos – enumerar fatos dá consistência a uma tese.

“As mulheres antigamente se casavam muito cedo. A Julieta de Shakespeare não tinha nem 14 anos. Na Idade Média, 13 anos era a idade para o casamento das judias. No Império Bizantino, muitas se casavam com 13 anos ou menos.”

Erro de grafia dá cadeia

Na Bahia, um erro de grafia levou em cana o ex-policial militar Mauro Vinícius Soares. Calma, não se trata de uma lei normativa que pune quem escreve errado. É que Soares foi pego quando tentava comprar um celular com um cartão clonado numa loja em Salvador. O funcionário que o atendia notou que no cartão apresentado pelo ex-policial no ato da compra estava escrito “extrutura” com “x”. Em 2006, policiais apreenderam um carro roubado em São Paulo ao desconfiarem do nome da cidade grafado na placa: “Frorianópolis”.

Dicas para ser criativo

Estratégias para quem deseja tirar boas ideias do dia a dia (sem hífen) para escrever um texto crativo. E para fugir um pouco das formas prontas da Redação para o Vestibular.

1. Ler muito e acumular conhecimento: a leitura permite que o escritor forme uma bagagem cultural e de conhecimentos gerais que é essencial para redigir um texto criativo.

2. Contar fatos banais de forma interessante: o trunfo de inspirar-se no cotidiano é saber extrair uma ideia original de uma situação que parece, muitas vezes, banal.

3. Usar o senso comum de forma criativa: uma rosa é um clichê, mas pode ser usada da maneira certa para despertar emoções que fogem do senso comum.

4. Usar figuras de linguagem: uma metáfora pode valer mais do que mil palavras. Em vez de algo que é vermelho, por exemplo, pode-se associar o conceito à violência, paixão, luxúria.

5. Ser um observador atento: ser um bom observador e estar atento ao que acontece ao redor é o segredo de textos criativos. Às vezes nos fechamos para pessoas e acontecimentos triviais, mas com grande valor para um texto.

6. Anotar ideias: ter uma boa ideia e perdê-la por ter esquecido de registrá-la é um desperdício.

7. Exercícios para estimular a criatividade: é preciso desafiar todo o conhecimento de mundo que se tem, passando a questionar o porquê de tudo o que se sabe, até mesmo de questões aparentemente óbvias.

8. Aprender a filtrar o excesso de informação: na era da comunicação o difícil muitas vezes não é encontra matéria-prima para um texto, e sim saber separar o que pode ser útil.

 

O desafio da Redação

Os alunos, a acada ano que passa, estão tendo maior dificuldade em produzir texto. Paradoxalmente, esta é a geração mais bem informada da história – mas certamente também a que menos sabe sobre o que escrever.

Quinta-feira passada estava corrigindo a redação de um aluno que se propôs escrever sobre o tema do ENEM do ano passado. Foi um sofrimento para mim. O rapaz não conseguia tratar do tema. Além dos desvios gramaticais – que considero até secundários-, ele simplesmente desconhecia o que é dissertar e, pior, o que pedia o tema. Talvez o meu desespero diante do texto tenha me levado a considerar uma responsabilidade que chega até o professor. Pode ser mesmo que nós, professores de modo geral, estejamos nos abstendo da obrigação de exigir texto, mas… e o aluno. Será que nunca teve vontade de escrever melhor? Nunca experimentou leituras alheias? Nunca se sentiu constrangido com sua deficiência? Sinceramente, acho que não.

Daí vem o grande dilema: como ajudar? Sinto-me impotente. Sei que uma mísera aula por semana pouco poderá ajudar o garoto, cheio de sonhos e projetos. Com ele, muitos deveriam estar envergonhados – inclusive eu por minha desistência. Faltou orientação no tempo certo, faltou vontade, faltaram mestres, família a exigir compromisso… Faltou, enfim, educação em seu caráter mais amplo.

Sobre Blogs e outras novidades

Estou estreando um novo canal de comunicação com meus alunos. Esse blog pretende ser um espaço para dicas sobre as disciplinas que ministro, novidades sobre vestibular e minhas produções (crônicas, poesias e outras bobagens pensadas).

Minha fascinação por esse universo virtual começou recentemente com o facebbok. Não sei como pude passar tanto tempo sem essa maravilha – e nem foi o filme sobre o Zuckeberg que me entusiasmou. Foi puro acidente. Agora não tem mais jeito. Meu filho Lucas criou esse blog a meu pedido e eu voltei a me encantar com uma novidade. Dessa vez só minha. Meu blog…. olha que maravilha!

Para muitos pode parecer bobagem, mas para mim é a ruptura com o último laço que me prendia ao século XIX (está bem, desculpem o exagero).

Quando comecei a dar aula de redação, achava maravilhoso poder escrever para os alunos. Cada nova proposta, novo tema, lá vinha eu com minhas ideias malucas, minhas sugstoões nonsense. Ultimamente até vinha perdendo um pouco dessa veia criativa que espero resgatar com o meu blog… isso mesmo… MEU BLOG.

Agora é botar a coisa para funcionar. Escrever e encontrar leitores dispostos a ler e a compartilhar comigo suas produções. Tenho certeza de que ganharemos todos.

 

Ínicio do Blog

Neste blog você poderá encontrar dicas de redação, noticias sobre o mundo dos vestibulandos, temas propostos e modelos de boas redações feitas por mim e por meus alunos.